Páginas

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Papo com Apolinho

Pra encerrar essa série de entrevistas com grandes comunicadores esportivos entrevistei Washington Rodrigues, o popular APOLINHO. Ele deu inicio a sua brilhante jornada como comentarista esportivo em 1962, passou pelas radios: Guanabara, Nacional, Continental, Tupi e Globo, onde se consagrou como um dos comentaristas esportivos mais importantes do Brasil. Washington Rodrigues também trabalhou nas TVs: Excelsior, Educativa, TV Rio, Tupi e Globo, onde participou como jurado do programa do Chacrinha e trabalhou também na produção do programa.Na extinta TV Manchete, Apolinho participou do programa Manchete Esportiva.E ainda escreveu para os jornais: Luta Democrática, Última Hora, Diário de Notícias, Jornal dos Sportes e Extra, onde manteve a coluna esportiva Geraldino e Arquibaldos.Em 1995 foi convidado, graças ao seu prestigio como comentarista esportivo, para ser técnico do Flamengo.Atualmente, comanda de segunda a sexta o "Show do Apolinho", na Radio Tupi de 17h às 19h.


Confira a entrevista!


Como foi seu começo no rádio?

Comecei na Radio Bandeirantes AM - hoje Band - em 1962 - fazendo um programa e reportagens de quadra sobre Futebol de Salão. Em 1964 passei para o futebol como repórter de campo.

Qual a importância do rádio para a popularização do futebol?

O Rádio foi fundamental para a popularização do futebol e especialmente para divulgação dos clubes do Rio atraves da potentes ondas das Rádios Nacional e Tupi que na época cobriam o Brasil.

Você é conhecido, também, por criar expressões e utilizá-las em suas transmissões, como geraldinos e arquibaldos, por exemplo. Conta pra gente mais algumas e quais você mais gosta?
Gosto mais de Geraldinos e Arquibaldos - criei mais de 100 termos ou expressões – tipo murilos ( os que pulam o muro) Seu Malaquias - O homem da mala - pau com formiga (jogo difícil) - granada sem pino ( jogador indisciplinado) - é mole ou quer mais - briga de cachorro grande ( jogo de grandes) e por aí.

Qual o motivo do apelido: Apolinho?

Em 1969 - fui para a Rádio Globo que comprou um equipamento sem fio para entrevistas que tinha sido usado na missão Apolo - deram o nome ao microfone de Apolinho - como eu usava o microfone o apelido pegou.

Quem foi o seu maior icentivador na profissão?

Diversas pessoas me incentivaram - José Dias ( então chefe de esportes da Rádio Bandeirantes) foi o principal.


Como surgiu o convite para ser técnico do Flamengo, em 1995?

Depois da perda do campeonato no Fla-Flu - Wanderlei Luxemburgo saiu e o clube contratou o Edinho. As coisas se complicaram e Edinho saiu logo depois. Kleber Leite e Michel Assef fizeram o convite e assumi com o compromisso de montar o time para a Supercopa dos Campeões da Libertadores.

Como foi o desafio de comandar o time de maior torcida do mundo, sem ter nenhuma experiência anterior na função?

Foi uma experiência fantástica. Aprendi mais naquele período do que em toda a carreira de repórter e comentarista.

Conta pra gente uma passagem interessante deste tempo no Flamengo.

A estréia contra o Velez Sarsfield que vinha de se sagrar campeão do mundo e era dirigido pelo Carlos Bianchi - jogamos na Argentina. Perdiamos por 2 x 1 até os 41 do segundo tempo quando viramos para 3 x 2. Entrei no vestiário voando por cima dos jogadores.

Após o período como técnico, você ocupou o cargo de Diretor técnico. Como foi essa experiência?

Foi mais light - menos pressão e igualmente enriquecedora.


Você aceitaria, novamente, dirigir um clube de futebol?

Algum clube, nunca. O Flamengo, sempre.


O que pensa sobre o fututo dos clubes do Rio? O desmando da FERJ tem a ver com a decadência do futebol carioca?

O futuro dos clubes do Rio será tão difícil como os dos demais clubes do país. Não vejo desmandos na Federação. O presidente de uma federação é como um sindico. Só faz a vontade dos clubes. Culpar um presidente, seja quem for, por eventuais insucessos é mais aintigo do que andar pra frente. Todos os que acompanhe nos meus 46 anos de carreira sofreram as mesmas críticas.

Hoje em dia tem muita FM com cara de AM, ou seja, com programas de entrevistas e transmissão de futebol, por exemplo. O que pensa sobre isso?
O Am está obsoleto. Foi corroído pelo tempo. O espaço está cada vez mais ocupado interferindo diretamente nas transmissões. A salvação virá com o Rádio Digital que deve chegar para nós em 2008/09. Defendo uma programação AM melhor qualificada exibida em FM. A Rádio Tupi tem um projeto de lançar a Tupi FM reproduzindo a sua programação de AM - falta o canal.

Você já cometeu alguma gafe engraçada no rádio? Conta pra gente...
Várias, mas não conto derrotas.




Grande Apolinho!

Com esta frase encerro o post:

"Algum clube, nunca. O Flamengo, sempre."

13 comentários:

Marcinho disse...

GRANDE APOLINHO!!!!!

Tem q voltar pra radio globo!!!!!!!!!!!!!!

cris moreira disse...

valeu apolinho.vc sempre imprevizível...abs...

ARNALDO BONNARD disse...

MUITO BOA A ENTREVISTA E MUITO BOM O BLOG.

densanti disse...

"algum cartola nunca.apolinho sempre"

Pasquale Cipro Neto disse...

IMPREVISÍVEL é com "S", Cris Moreira!!!!

CRIS MOREIRA disse...

E AÍ PASQUALE CIPRO NETO;"CORUJA" é com "c" ou com "k"?...

Ontário Motta disse...

Parabéns pela escolha do entrevistado. Em um momento importante, uma vez que as transmissões pelo rádio tem ficado em segundo plano devido a enxurrada de jogos transmitidos pela tv.
Figuras como o Apolinho cada vez mais serão raras de aparecer.
Um abraço,
Ontário Motta
PS. Também falo bem de vez em quando.RS

Ontário Motta disse...

Parabéns pela escolha do entrevistado. Em um momento importante, uma vez que as transmissões pelo rádio tem ficado em segundo plano devido a enxurrada de jogos transmitidos pela tv.
Em função disto figuras como o Apolinho cada vez mais serão raras de aparecer.
Um abraço,
Ontário Motta
PS. Também falo bem de vez em quando.RS

Pasquale Cipro Neto disse...

CRIS MOREIRA disse...
E AÍ PASQUALE CIPRO NETO;"CORUJA" é com "c" ou com "k"?...

O pior cego é aquele que não quer ver... e o pior burro é aquele que não quer aprender e tem vergonha de assumir que errou...
Tsc, Tsc, Tsc... coitado do Apolinho... não merecia isso!!!

CRIS MOREIRA disse...

e aí pasquale cipro neto;não precisava mostrar todo sua educação.com tanto assunto importante para ser discutido neste"forum"aqui,não deveríamos perder tempo com essas bobagens....

Anônimo disse...

Grande Apolinho, adoro seus comentarios, estava no Google procurando um blog do Apolinho e achei esta entrevista.
Abracos,
Marcelo

Victor disse...

meu mestre !!!!!!!!!!

andre disse...

Olá Apolinho, um grande abraço de um rumbro negro apaixonado pelo mengão...
torço muito pelo seu sucesso e cntinue sempre assim, alegrando a nossas tardes!
um forte abraço e manda um abraço pro meu amigo e irmão Jean da rua 12.

Google