Páginas

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Deuses instantâneos


Vivemos num país em que a "indústria" elege ídolos instantâneos com a durabilidade de uma caixa de sabão em pó. Verdadeiros Deuses emergem para um sucesso fulminante, para então seguirem carreiras suavemente descendentes, quando não para simplesmente desaparecer no meio de uma multidão sempre ansiosa por novos fenômenos.
Esse é o caso do jogador Obina que, até dois anos atrás, era perseguido e "odiado" pela torcida do Flamengo e de uma hora para outra virou o grande ídolo da galera do time da Gávea. Obina, ou ano negro como é chamado, virou febre nas arquibancadas e na internet, ganhou dezenas de comunidades no Orkut e até um site que exige sua presença na seleção (http://www.obinaselecao.globolog.com.br).
As atuações do jogador em campo não justificam nem de longe o fanatismo da torcida; resta saber se o carisma do jogador é o grande responsável pelo fenômeno ou a carência de ídolos é o "x" da questão.
O sucesso fulminante não é um privilégio apenas do mundo da bola; também acontece na música, nas páginas policiais, na política e, pricipalmente, em epísódios curiosos com os mais variados exemplos, tipo a "Fogueteira do Maracanã"
Uma coisa é certa... Obina enche estádios, vende camisas, é ídolo da garotada e espalha alegria; elementos mais do que suficientes para exclui-lo do grupo das "Celebridades que não serve pra nada", ainda mais no país dos Alemães, Cicarelis, Ban Bans, Thamys, Gracyanes, e tantas outras!
Frases que rolam na net:

Zico gritou: "Bate para o gol , Obina".Obina respondeu: "Peça por favor."
Entre Pelé e Maradona, Obina ganha.
"Ser ou não ser?" Eis a questão."Obina." Eis a resposta.
Uma vez Obina resolveu fazer aviõezinhos e lançar da janela do seu quarto, na Bahia. A data era 11 de setembro.
Se Obina ainda não fez gol em um jogo, o jogo ainda não acabou.
...e então Zagallo disse: "Vocês vão ter que me engolir!" Obina retrucou: "Com pimenta ou sem pimenta?"
Aliás, "Obina é Seleção" tem 13 letras.
Se Obina fosse francês, Materazzi não estaria vivo.
Quando Obina deu uma bicicleta, a volta da França perdeu a graça.
Uma vez Obina e Garrincha foram disputar uma bola. Acho que todos sabem como ficaram as pernas do Garrincha depois disso...
Obina não faz aniversário, faz história.
Van Gogh cortou as orelhas por causa do Obina. Era vascaíno e acompanhava pelo rádio.
Se Zico é rei e Sávio é o príncipe, Obina é "Meu Rei".
Obina pra presidente! Para vice, o Vasco.
No formulário do prêmio "Bola de Ouro", tem a seguinte pergunta: "Quem foi o melhor do mundo nessa temporada? OBS: Não vale votar no Obina."

6 comentários:

arnaldo bonnard disse...

uma torcida que fez de FIO MARAVILHA um rei,faz de OBINA um craque...saudações rubro-negras...

romero seixas disse...

valeu,garça;mais uma boa do blog.

clara fadel disse...

não sei se já falaram;esses seus artigos são do tipo de NELSON RODRIGUES,gde tricolor e excelente escritor da antiga.tá de parabéns.abs.

claudio de icarai... disse...

sinta-se honrado por lembrarem de nelson rodrigues ao ver sua matéria.

VERDADEIRO MENGÃO disse...

Nelson Rodrigues só tinha um defeito;não era rubro-negro.

CLAYTON FERRO disse...

VALEU,GARÇA.UM ABRAÇÃO PELO NIVER.

Google